BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

sábado, abril 22, 2017

Crítica: Os Dias Eram Assim, primeiros capítulos

Quando O Astro estreou o horário de novelas das onze, por ser tarde da noite, pouco se esperava dela. O Astro foi bem na audiência e ainda abocanhou o prêmio de melhor novela do mundo. Um ano depois, foi a vez de Gabriela (ótimo remake). Depois Saramandaia e O Rebu (ambas não chamaram tanta atenção, mas foram bem na audiência). Em 2015 estreou Verdades Secretas, a melhor novela do horário. Verdades era rápida, forte e o apelo sexual estava à flor da pele. Com Verdades, descobriu-se um novo público: um público que quer ver cenas fortes, sexo, atores e atrizes nus. Tanto é verdade que Liberdade, Liberdade veio depois (com poucas cenas de sexo em relação à anterior) e deixou um pouco a desejar. 
No último dia 17, a Globo deu início a sua nova novela das onze, agora chamada de supersérie, Os Dias Eram Assim. A trama trata do universo da ditadura, nos áureos 1970 (e 1980), mesclado com o romance de Renato e Alice. Renato Góes é o protagonista e como vai bem na novela (supersérie). Sophie Charlotte é a mocinha (Sophie tem jeito de mocinha e é boa atriz). O antagonista é vivido pelo excelente ator Daniel de Oliveira.
Os Dias Eram Assim começou com o pior ibope de uma novela das onze (o primeiro capítulo marcou 23 pontos), mas foi o segundo o mais broxante de todos os tempos: só 13 pontos.
Apesar das promessas, poucos nus. O público quer nus. É o público do horário. Claro, não adianta só nus e não contar uma boa história. Verdades Secretas tinha muitos nus, mas era uma novela imperdível. Os Dias Eram Assim parece ser uma novela imperdível, a história da ditadura militar promete, e os primeiros capítulos foram muito bons, e além do trio de protagonistas, destacaram-se Antônio Calloni, se especializando em grandes vilões, Susana Vieira, Natália do Vale, Gabriel Leone, Mariana Lima, Marcos Palmeira e Cássia Kiss (principalmente).
Os Dias Eram Assim é escrita por Ângela Chaves e Alessandra Poggi e dirigida por Carlos Araújo, todos merecem aplausos, mas dos nus, acreditem, não se esqueçam deles!

Nenhum comentário:

Postar um comentário