BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

sábado, julho 23, 2016

Por favor, Clarita!

A reprise de Mulheres de Areia deixa uma pergunta no ar. A Susana Vieira de 1993 é a mesma de 2016?

Susana mudou depois da Branca (Por Amor)?

Considero a Susana uma das melhores atrizes do Brasil.

MAS JURO!

Prefiro a Susana como Clarita. A Susana de 1993.

A Susana de 2016 é muito a Branca de 1997.

É legal ver nas novelas, mas não na vida real.

REITERO:

Susana é uma das melhores atrizes da televisão brasileira.

Susana Vieira como Clarita? (ou) Susana Vieira como Branca?

Raul Cortez, se estivesse vivo, falaria: "Por favor, como Clarita! Por favor!".

Era muito bom, né?


Em 1993, Guilherme Fontes foi Marcos, o melhor par romântico de Glória Pires em novelas. No ano seguinte, deu vida a um dos melhores vilões masculinos da TV (o Alexandre de A Viagem). Portanto, Guilherme Fontes pode bem mais (ainda é tempo)

Por que Guilherme Fontes não deu tão certo na TV?
Foi culpa do filme Chatô?
Guilherme Fontes é o diretor deste polêmico filme que demorou vinte anos para ficar pronto. Polêmico no sentido porque demorou todo esse tempo.
Ele foi o Rei de Bebê a Bordo (1988), um personagem de muito sucesso dos anos 1980. Foi destaque da minissérie Desejo (1990) e teve seu ápice nos anos de 1993 e 1994, com o Marcos de Mulheres de Areia e o Alexandre de A Viagem (ambas escritas pela saudosa Ivani Ribeiro). E seu último protagonista foi o Tony de Estrela-guia (com a Sandy, em 2001). De lá para cá, participações esporádicas, mas sempre em papéis secundários: Beleza Pura, Além do HorizonteBang Bang, Malhação e Boogie Oogie. Não nesta ordem.
Guilherme é bom ator. Foi um galã. Em 1994 adquiriu os direitos para filmar Chatô (lançado em 2015). Ali o seu projeto mais ambicioso e que custou sua carreira promissora. 
Guilherme tem 31 anos de carreira e está com 49 anos. Não é mais galã, mas Humberto Martins também envelheceu e continua recebendo bons papéis. Eduardo Moscovis é outro. É normal envelhecer. Guilherme Fontes faz falta na TV. Atualmente, está no ar na reprise de Mulheres de Areia como o Marcos (melhor par de Glória Pires em novelas). Quem não torcia /torce pelo Marcos e pela Ruth? Quem não morria de ódio do Alexandre?
Mesmo em papéis secundários, ele deu conta do recado.
Tanto se fala em vilãs memoráveis. No entanto, esquece-se dos vilões. O Alexandre de A Viagem (1994) está entre os cinco melhores vilões das novelas no Brasil.
Reitero: Guilherme Fontes merece mais destaque. Não merece ser a Beatriz Segall de calças. 
Beatriz Segall foi deixada de lado e ano passado apareceu espetacular na série Os experientes. Com quase 90 anos de idade, mostrou que podia bem mais que a Odete Roitman. Imaginem quantos personagens espetaculares perdemos de ver.
Guilherme Fontes pode bem mais (ainda é tempo).

Foto retirada do Facebook do ator/diretor:

O sucesso de Haja Coração

Haja Coração recebeu bem de Totalmente Demais e segurou boa parte dos telespectadores do horário e sua trajetória deve ser enaltecida pelo fato de ter uma concorrente à altura. Escrava Mãe, na Record, tem pontuado acima dos 10 pontos. Escrava Mãe é mais uma novela de época como outra qualquer, sem ousadias, mas com uma boa história e com uma Thaís Fersoza espetacular.
Haja Coração prima como uma adaptação de Sassaricando, a que julgo ser um remake em que se mudou só o foco nos papéis principais. Na versão de 1987, o enredo de Tancinha vinha em segundo plano, enquanto o de Aparício Varela reinava. Mudou. A mudança foi certeira.
O que não me anima é o tão tão colorido. Um colorido que leva Haja Coração à comparação com Cúmplices de um Resgate (SBT), mas com o padrão Globo. Agrada em cheio as crianças, mas o que sinto falta é das novelas das sete estilo Quatro por Quatro, com aquele humor rasgado, mas não surreal.

Mariana Ximenes é o grande nome de Haja Coração. Abraçou com garra uma personagem que era sensação no ano de 1987. Cláudia Raia espetacular. Cláudia, aliás, é um primor na comédia. Além de Tancinha, brilhou como Adriana (Rainha da Sucata), Maria escandalosa (Deus nos Acuda), Mina (O beijo do vampiro), Safira (Belíssima). Mariana recebeu uma personagem que figura num dos tipos inesquecíveis de nossa TV e que foi rejeitada inicialmente por Mônica Iozzi. Está perfeita. Não é tão exagerada quanto a versão original (talvez por isso não está fazendo tanto barulho), mas segura a onda como mocinha da atual. Linda mesmo!
Enfim, Haja Coração merece o sucesso que tem. No entanto, sigo com a ressalva do precisa ser tão tão colorida?

A abertura de Sassaricando é mais bonita que a de Haja Coração, mas entendo que com a troca do enredo principal houve a necessidade de mudar o título. Compare:



Porque Liberdade, Liberdade não repercutiu

Quando estreou, Liberdade, Liberdade chegou com jeito de novela das nove, mas aos poucos foi perdendo força e apesar de ser líder de audiência em seu horário não estourou como sua antecessora, Verdades Secretas, exibida ano passado.
No último dia 12, aliás, teve seu ápice com a primeira transa entre dois homens na TV brasileira. Cena que chocou.
Muito se fala dos atentados pelo mundo, tudo em nome de uma religião, de Deus. Em nome da moral e dos bons costumes. E os atentados que ocorrem todos os dias no Brasil?
Cresci ouvindo que o Brasil é um país preconceituoso, mas que sempre escondeu essa podridão lá no seu íntimo, fechado a quatro chaves.
Em 2016, a censura no país está mais forte que nos idos dos anos 1960 e 70. Não se pode ter opinião para nada. Na verdade, há muitas opiniões, mas nenhuma com embasamento em melhorias. Em época de inúmeras redes sociais, o preconceito segue firme, muito mais forte como nunca.
Parto da premissa que temos sim que expor nossas opiniões. Deve-se debater os mais diversos assuntos. Todavia, precisa-se estudar mais. Ler mais (ler, refletir e aprender). Todo mundo quer falar, mas ninguém para para ouvir. Todos apontam contra o outro. E o nosso eu? Estamos nos avaliando?
Existem homossexuais desde que o mundo é mundo. O mundo de hoje continua apontando como se isso fosse algo anormal. E continua matando, com requintes de crueldade. Nada mudou. Não estou dizendo que isso é certo ou errado, até porque cada um sabe onde é mais feliz. Porém, estamos em 2016. Matar é a solução? Aceitar o diferente não seria o ideal. Não seríamos mais felizes desse jeito? 
Bandidos estão tendo mais direitos que cidadãos honestos?
Os negros continuam sendo apontados com diferença. Por quê?
Existe o contrário também. Existe pessoas ruins em qualquer classe, raça, orientação sexual etc. Vendo as barbáries que acontecem no mundo, pessoas inocentes lá fora e principalmente aqui dentro sendo mortas como se fossem insetos. Revoltante. Há jeito de mudar?
Política não é o forte do blogue, mas fica o desânimo aos humanos (sic) do mundo inteiro. O mundo tem jeito?
Liberdade, Liberdade ainda é atual. Prova viva é que mesmo passado mais de 100 anos da libertação dos escravos, negros precisam de cotas. As máscaras continuam. Liberdade, Liberdade deveria se chamar Prisioneiros, Prisioneiros. Somos prisioneiros de corruptos. Ah, o meu Brasil brasileiro.
Por este motivo acho que Liberdade, Liberdade não foi à forra. A novela é boa. Claro, por ser de época é obrigada a tratar de temas batidos para não fugir do momento em que vivia, mas poderia ter ousado mais. O horário permitia isso. Deveriam mostrar mais a fundo o drama dos negros no país. Com cenas fortes mesmo. Entrado na ferida. Mostrado as dores reais que eles realmente passavam na época. Xica da Silva (1996) se aproximou muito disso e foi o sucesso que foi. Existia tortura mesmo. Tem que mostrar neste ângulo mesmo. Quem sabe com imagens fortes, as pessoas comecem a se sensibilizar com o outro.
No caso dos homossexuais, deve-se sim ousar mais. 
A luta das mulheres à frente de M. Joaquina podia mais. 
Por substituir Verdades, Liberdade foi tímida em tudo (até no nus).
Liberdade, Liberdade foi uma boa novela com chances de ser inesquecível. Não foi e não será, por medo. Por preconceito.

terça-feira, julho 12, 2016

Por que a Xuxa só dá 5 pontos? "Mesmo a Xuxa sendo desacreditada. Mais uma vez. Haja coração! Ainda assim, Xuxa continua sendo a melhor. Pode melhorar. Basta querer! Se ela quiser, ela pode! Se ela pode, ela consegue!"

Anos 1980, 1990. Xou da Xuxa: 22 pontos. Xuxa Park: 15 pontos. Planeta Xuxa: 18 pontos. Anos 2000. Xuxa no mundo da imaginação: 6 pontos. TV Xuxa: 8 pontos. Anos 2010. TV Xuxa: 8 pontos. Xuxa Meneghel: entre 5 e 8 pontos. Xuxa com 5 pontos, foi a sua média na última segunda, 11 de julho de 2016. Por que Xuxa caiu tanto em audiência?
Por onde anda o fenômeno Xuxa?
Xuxa está com 53 anos. É uma apresentadora de mão cheia, mas peca por teimosia. Por pirraça. Devia ter escolhido os sábados à tarde, mas quis a segunda. Quis o horário noturno. Quis ser Hebe. Quis viver do passado. Quis ser a Ellen. Quis usar calças compridas. Quis falar tudo o que pensava.
Xuxa não deu muito certo no horário noturno. Sempre perde para o rival Ratinho e frequentemente perde de Patrícia Abravanel. Xuxa começou ao vivo. Falava o que dava na telha, às vezes, parecia forçado, mas fez certo barulho. Xuxa entrou em conflito com a cantora Irritta. Perdeu o "ao vivo". Mudou a direção. Não tem bons convidados. Quando tem, não aproveita ao máximo, salvo algumas exceções.
Ah! eu como diretor de Xuxa. Ninguém me segurava!
Xuxa tem um carisma ímpar, do quilate Silvio Santos.
Xuxa não precisa ser a Hebe. Precisa ser a Xuxa. Sem neuras, sem frescura. Ser a Xuxa. Só isso.
Xuxa não gosta de ninguém dando pitacos de como ela é ou deve agir.
Xuxa é linda.
Xuxa é uma senhora linda.
Extrovertida, domina um palco como ninguém.
Xuxa peca pela teimosia. Quer ser a Hebe, quer ser a Ellen. Xuxa tem que ser a Xuxa.
Não a Xuxa de vinte, trinta anos atrás.
Aquela Xuxa ficou lá atrás.
Aquela Xuxa que tanto cuidou de seus pequerruchos. Ela foi minha babá eletrônica. Xuxa me ensinou muito de cidadania, Por causa da Xuxa não fumo. Tento ser uma pessoa boa também. Não só por ela, claro. Pelos meus pais, professores e por mim. Basicamente por mim. Mas ela tem um dedo nisso. Por causa da Xuxa estudei. Sonhei. Sonho. Quero e consigo.
Mas aquela Xuxa ficou lá atrás. Xuxa cresceu. Nós crescemos. Xuxa virou mãe. Muitos de nós somos pais já. Xuxa não pode ser a nova Hebe. Xuxa tem que ser a Xuxa. Amanhã alguém vai querer ser a Xuxa. E nunca vai ser! Porque Xuxa só tem uma. Xuxa, aproveita e seja apenas Xuxa. Sem medo de errar. 
Ah! se eu fosse diretor da Xuxa. Ninguém me segurava.
Xuxa teve em seu palco no último dia 11 o Roupa Nova. Não aproveitou. Imitação de Michael Jackson? Não, né? Fiuk, nada contra. Mas estava lá o Roupa Nova! Dava pra fazer um lindo programa com eles. Sem toc-toc. Está chato esse toc-toc. Não aguento tanto assistencialismo na TV. Cai nessa não Xuxa!!
Ah! se eu fosse diretor da Xuxa. Iria investir em programas especiais. Trataria a Xuxa como ela merece. Devolveria o brilho para a Xuxa. O público quer Xuxa. Ano passado, quando se anunciou a saída de Xuxa da Globo e sua ida para a Record, todo mundo pensou: "A Xuxa vai voltar". Aquela Xuxa do TV Xuxa 2012. Mais espontânea. Sem frescuras, sem reclamações. Sem gessos!
Xuxa começou mal. Pode ser que esteja mal assessorada.
Pode ser isso ou aquilo. Pode ser sim que Xuxa esteja sendo teimosa. Ela está sendo. 
Mesmo abraçado aos 5 pontos de ontem.
Mesmo a Xuxa teimosa.
Mesmo a Xuxa sendo desacreditada. Mais uma vez. Haja coração!
Ainda assim, Xuxa continua sendo a melhor.
Pode melhorar. Basta querer! Se ela quiser, ela pode! Se ela pode, ela consegue!
Xuxa do céu. Maria da Graça! Xuxa, querida! Sorte pra ti. Já disse aqui muitas vezes. Virou cultura falar mal da Xuxa. Pegar no pé da Xuxa. Porque ela é rica! Porque ela ainda está bonita! Porque ela fez muito sucesso um dia! Porque ela é mulher?
A Globo.com nunca mais noticiou nada de Xuxa. 
A Sasha, filha dela, volta e meia está lá. Na capa do site, Xuxa nunca mais foi citada. Sabe por quê?
Porque a Globo sabe de sua força.
A Globo não é boba não! 
Abre o olho, Record.

segunda-feira, julho 04, 2016

Clipe de lançamento: A Terra Prometida

Estreia nesta terça, dia 5, a nova novela das oito da Record, A Terra Prometida. Confiram o trailer:

Vale a pena ver de novo muda pela terceira vez: Cheias de Charme é a escolhida da Globo para suceder Anjo Mau

Primeiro era Alma Gêmea, mas, segundo informações, a trama de 2006 e do horário das seis é imprópria para o Vale a pena ver de novo. Censura. Escolheram Ti-ti-ti, que eu gostei bem mais, e que ainda não foi reprisada, mas também foi rifada. Censura da Globo por conta da Xuxa? A personagem Jaqueline (Cláudia Raia) volta e meia parafraseava a apresentadora, que também participou da novela. A escolhida (até o momento) é Cheias de Charme, de 2012.

  1. Cláudia Abreu esteve ótima como Chayene.
  2. As 'empreguetes' viraram mania nacional.
  3. Taís Araújo, Leandra Leal e Isabelle Drummond sensacionais.
  4. Vale a pena ver de novo sim!
  5. Marcos Palmeira também esteve ótimo.
  6. Será que dessa vez 'Voa, voa brabuleta" e "Vida de empreguete" vão sucumbir para as rádios?
  7. Cheias de Charme foi espetacular.
  8. Destaque para Titina Medeiros, a empregada do mal.