BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

quinta-feira, dezembro 22, 2016

Xuxa Meneghel, versão 2017

Que tal em dourado?
Por que a Xuxa não dá mais audiência na TV? Vez ou outra, esta pergunta é feita em algum lugar. O que falta à apresentadora? Xuxa apareceu no Programa do Porchat, na semana passada (vide vídeo abaixo) e como convidada foi incrível, coisa que não se vê quando apresenta. Será a velha teimosia de Xuxa? Segue a lista de como Xuxa poderá dar certo na RecordTV:

  1. Xuxa mais espontânea, mais natural, sem precisar de caras e bocas. Sem precisar provar nada para ninguém. Falar menos de si. Sem medo. Xuxa precisa rir de si mesma. Por ora, em seu programa até conseguiu, mas logo a audiência foi saindo, talvez por preocupação, se fechou novamente. 
  2. E não adianta os antis pedirem o afastamento de Xuxa, dizendo que ela ficou velha e outras ofensas babacas. Xuxa tem talento. O seu problema é a teimosia. O jeito teimoso dela até me agrada. Ela é sincera, transparente. Quando não gosta não gosta, assim, desse jeito mesmo. Falta apenas Xuxa escutar um pouco mais. Sei também que ela ficou traumatizada por conta do que viveu por anos com Marlene Mattos (nota-se isso em seu olhar), mas visto alguns vídeos no seu Insta com a festa de sua equipe, não me parece que eles estão lá para querer o mal dela. Eles, aliás, parecem gostar muito de trabalhar com ela. Xuxa, invista em sua equipe. Peça para eles falarem. Olha a festa da equipe para o diretor Ignácio Coqueiro: nota-se que todos lá se dão bem. Veja.
  3. Xuxa às segundas. Ou se for aos sábados, ou terça ou quarta, qualquer dia, estabeleça um objetivo: todo programa precisa de um formato para seguir. Planeta Xuxa visava à música, por exemplo. O telespectador tem que sintonizar o canal e saber o que vai ver. Todos sabem o que vão ver quando sintonizam o Ratinho ou a Patrícia Abravanel.
  4. Se for às segundas: parece que querem incluir a Dança dos Famosos. Isso pode soar cópia, traição para com o Faustão. No entanto, acho correto algo que puxe um reality show. Talvez até com uma hora apenas de duração. Xuxa precisa de um quadro que chame a atenção, como o Dança. Que tal Desafio Celebridades? Ou Ame-a ou deixe-a. Xuxa poderia construir casas. Vender casas. Correr atrás de sonhos.
  5. Se for aos sábados: se for neste dia, a Record poderia investir pesado. Quatro horas. Das duas as seis da tarde. Sem medo! 
  6. Chamem a Rosana Hermann para ser a redatora-chefe. Chamem a Rosana se for as segundas também.
  7. Essa mulher tem muitas ideias.
  8. Os dois quadros acima mencionados podem fazer parte do show.
  9. Temos cerca de duas horas garantidas.
  10. Rosana é ótima no humor. Xuxa gosta disso, mas precisa ser ancorada por boas ideias.
  11. Que tal um quadro ao estilo "Um artista na roda", em que o artista em questão tem que responder as perguntas mais inusitadas. Xuxa, a própria Rosana e a repórter Nanny People poderiam "brincar" com o convidado.
  12. Nesse meio termo, um "Ao vivo", dos áureos tempos do Planeta Xuxa. Exemplo: Luan Santana (tá certo, ele está de birra, mas é só um exemplo), vai ao programa e canta seis músicas de seu repertório como se estivesse num show, responde algumas perguntas feitas por Xuxa e a plateia e participa de alguma pegadinha. 
  13. Câmera escondida: um artista da Record se submete a uma semana com câmeras em sua casa, como um reality show. Mais um câmera perseguindo o artista por todos os cantos. Seria uma boa forma de garantir a presença dos atores do canal, por exemplo Cristiana Oliveira, Paloma Bernardi etc. A Record precisa explorar os atores da casa. Há muita gente boa.
  14. Cristiana Oliveira (por exemplo) poderia ir no programa e assistir com a apresentadora e o público a edição feita pela equipe, sempre talhado no bom humor.
  15. Xuxa sem medo de ser feliz: a artista convida um humorista e participa de um stand up. O humorista deve incluí-la nas piadas (Xuxa se mostrou ótima com Porchat neste vídeo).
Que tal Xuxa?

Que tal Ignácio Coqueiro?







segunda-feira, dezembro 19, 2016

Melhores do ano no Faustão, sempre aquela furada

Camila Pitanga venceu Marina Ruy Barbosa e Andréa Horta no Troféu Domingão. Das três, Andréa merecia a estatueta, mas ainda assim não foi a melhor atriz de novelas do ano.
Quem escolhe os finalista dos melhores do ano da Globo, aquele do Troféu Domingão? Dizem ser os profissionais da casa, numa espécie de pesquisa, em que os três mais votados concorrem ao prêmio. E este assunto sempre vira um post no Mr. TV tamanha a indignação com os vencedores. Tudo bem que neste ano alguns foram justos, dentre as quais a melhor atriz de série com Adriana Esteves abocanhando a taça. No entanto, como assim Lucas Lucco o ator revelação do ano? Ele concorreu com o seu xará Lucas Velloso e com João Baldasserini. Dos três, Lucas Velloso deveria ter levado a estatueta. Lucco não é bom ator (nem cantor) e João estreou em novelas em 2010 (poderia concorrer a melhor ator, não como revelação). 
A categoria cantor e cantora, com Luan Santana e Anitta como vencedores, demonstra o quão estamos mal em termos de música. 
Camila Queiróz foi bem como coadjuvante, mas e a Selma Egrei, ou a Elizabeth Savalla (só para citar duas)? Elas nem apareceram na lista. Camila disputou com Dira Paes e Juliana Paiva. Pode isso, Arnaldo? E o melhor ator coadjuvante foi Marco Ricca. Perdeu para Gabriel Leone, bom ator também, mas nada superou o Mão de Luva de Liberdade, Liberdade.
Jesuíta Barbosa levou o prêmio melhor ator de série por Justiça. Ele é excelente, mas e Sélton Mello? Nem disputou.
Camila Pitanga concorreu e ganhou o prêmio de melhor atriz na categoria novela. Ela foi bem. Mas melhor atriz? Melhor terem escolhido Mariana Ximenes, Vera Holtz ou Alinne Moraes (todas foram e estão superiores à Camila).
Enfim, o Melhores de Ano da Globo é sempre aquela furada. E há quem ainda confie.

quarta-feira, dezembro 14, 2016

Os piores do ano, versão 2016.

Ela tem a melhor fotografia, tem bons atores, mas a falta de história (e de bons personagens) fez de Sol Nascente a pior novela do ano.
Pior novela: Sol Nascente. Tudo está ruim na novela das seis: enredo, personagens, falta de um casal para torcer de verdade, falta de vilões carismáticos etc. A única personagem que dava gosto de ver em cena era a Dona Sinhá (Laura Cardoso). A atriz teve que se ausentar por problemas de saúde. Perdemos todos nós. Força Laura (sempre extraordinária). Da Laura, lembro da Isaura, da Guiomar, da Sinhana, Ruth, Madalena, Carmem, Francisquinha, Laksmi e Dorotéia. Linda! Enfim, feita a homenagem à atriz, nada salva Sol Nascente do marasmo.

Pior atriz: Débora Nascimento não segurou a primeira protagonista de sua carreira. Filó começou chata, foi piorando, perdeu espaço e abocanhou o prêmio (argh!) de pior atriz do ano. Merecido!

Pior ator: Antônio Fagundes não foi Antônio Fagundes em Velho Chico. O ator tentou o caricato, e teria sido bem interessante caso o personagem Afrânio não tivesse sido muito bem defendido por Rodrigo Santoro na primeira fase. Destoou. Ficou ruim.

Pior vilã ou vilão: Eriberto Leão é um baita canastrão como ator. É péssimo como mocinho, como coadjuvante e como vilão. E pensar que ele foi o primeiro nome a ser pensado para viver o Afrânio (Santoro) de Velho Chico. Como Velho Chico, antes pensada para o horário das seis, ocupou o horário nobre, foram logo colocando o ator para escanteio. Sobrou para Walcyr Carrasco, que teve que contar com ele no folhetim Eta mundo bom! Eriberto Leão teve como parceira Flávia Alessandra. Flávia é um mistério. Ora é excelente, ora deixa a desejar. Ernesto foi muito ruim.

Pior reprise de novela: Meu Bem, Meu Mal, de Cassiano G. Mendes. A novela não é de todo ruim, mas dos tantos sucessos de Cassiano, é a mais fraquinha.

Pior série: Supermax (Globo). A ideia era boa, mas a audiência não gostou (nem eu).

Pior ator coadjuvante: Francisco Cuoco (Sol Nascente).
Pior atriz coadjuvante: Luiza Tomé (Escrava Mãe)
Pior ator cômico: Tiago Abravanel (Alguém conseguia rir com ele?) (Chapa Quente)
Pior atriz cômica: Ingrid Guimarães (como ela mesma em Chapa Quente).
Pior coisa na TV em 2016: Para o festival de coisas ruins nos domingos da RedeTV! (Sensacional, Encrenca e Joáo Kléber). Argh!
Pior humorísticoPânico na Band está a cada domingo pior. Saudades da trupe de quando era da RedeTV! Muito chato! Pouco humor! Pouca coisa interessante. Anda muito Jackass. Faz tempo que andam copiando essa linha, porém, extrapolando no mal gosto. Marcelo de Carvalho ri muito.
Pior programa de auditório: Xuxa Meneghel (até eu que sou fã(nático) pela apresentadora, pulei fora).
Pior apresentador: Celso Portiolli (ele tem carisma e é bom, mas é muito mal aproveitado. E o Domingo Legal não tem a sua cara, muito menos o Sabadão. Que tal menos Celso como Gugu e mais Celso como Celso).
Pior apresentadora: Patrícia Abravanel (no começo até parecia que ia dar caldo, tudo ilusão, ou será que sou só eu que não vê o menor talento na moça. Tudo nela é forçado).
Pior programa feminino: Melhor pra você (Redetv!) (ainda estou procurando o que tem de melhor no programa).
Pior programa de esportes: Os donos da bola (Band) (Quem gosta do Neto levanta a mão!).
Pior telejornal: Primeiro Impacto (SBT) (É ruim).
Pior âncora: Paulo Henrique Amorim (o homem surtou).
Pior reality: The X Factor (apresentadora ruim, Di Ferrero ruim etc.).
Pior programa de entrevistas: todos são bons (mesmo).
Foi mal: Band sem futebol. A Band nos anos 90 era emissora dos esportes, a TV feita para os homens. Quis nos anos 2000 partir para o entretenimento. É Band, só sinto muito.

Considerações finais: O Internacional foi rebaixado para a Série B do Brasileirão. 

sábado, dezembro 03, 2016

Troféu Mr. TV - Edição 2016


Novela do ano: "Eta mundo bom!" veio despretensiosa. Com ares de filme de Mazzaroppi e O Cravo e a Rosa (2000), conquistou a todos. A trama leve, saudável, apresentou um enredo típico das novelas de Walcyr Carrasco dos anos 2000. Walcyr, aliás, é o autor que mais acumulou sucessos nas últimas duas décadas (desde Xica da Silva, na TV Manchete, 1996). A trupe da fazenda foi o ponto alto da trama. Impossível não se deliciar com a comédia pastelão capitaneada por Dona Boca de Fogo, ops!, D. Cu-negundes! Merece aplausos.


Atriz: a melhor interpretação feminina veio de uma minissérie. Fátima de Adriana Esteves (Justiça) levou às lágrimas todos os telespectadores de terça-feira (dia em que a minissérie apresentava a história da personagem). Adriana foi a heroína perfeita, como há tempos não se via na TV.

Ator: Sélton Mello faz pouco TV, normalmente, figura bastante nas telonas. Augusto, de Ligações Perigosas, foi herói, vilão, seduziu, fez rir, encantou e desencantou, e em todos os momentos, Sélton foi simplesmente incrível. O melhor ator também saiu de uma minissérie. Bravo!

Minissérie: sem sombras de dúvidas, as minisséries do ano foram assinadas pela autora Manuela Dias. Justiça e Ligações Perigosas deram audiência de novela das nove, o que foi merecido. Ligações Perigosas foi extraordinária, leva o prêmio.

Vilã ou vilão: Patrícia Pillar foi a adorável vilã Isabel, de Ligações Perigosas. Espetacular!

Melhor reprise de novela: foi um ano bom de reprises, mas os vilões cômicos de Raul Cortez e Gloria Pires (Virgílio Assunção e Raquel) são sempre bem-vindos. Mulheres de Areia é aquela novela de antigamente que tanto os noveleiros sentem falta, imbatível. 

Ator coadjuvante: Marco Ricca (Mão de Luva).
Atriz coadjuvante: Selma Egrei (Encarnação).
Ator cômico: Anderson di Rizzi (Zé dos porcos).
Atriz cômica: Elizabeth Savala (Cunegundes).
Melhor coisa na TV em 2016: a família buscapé de Eta mundo bom!. Mafalda, Zé dos Porcos, Cunegundes, Quinzinho, Candinho, Quim, Eponina, Manoela e Dita. Saudades.
Humorístico: Tá no ar: a TV na TV.
Infantil: não há bons programas infantis na TV aberta. O melhor, aliás, é uma série dos anos 70, feita por uma emissora mexicana e que nem passa muito na TV, é o Chaves.
Auditório: Tamanho Família (Globo).
Apresentador: Márcio Garcia. Merecido! (Sempre gostei mais dele do que Rodrigo Faro).
Apresentadora: Fernanda Lima (por Amor & Sexo).
Programa feminino: Mais Você.
Programa de esportes: Jogo Aberto (Band). Com ênfase para Renata Fan, Chico Garcia e Heverton Guimarães. Imparciais em seus debates. O restante só cumpre tabela.
Telejornal: Jornal da Globo, o mais noticioso do ano, o que mais tocou no dedo da ferida, não poupando os políticos corruptos.
Âncora: William Waack, extremamente impossível (no bom sentido da palavra).
Reality: neste ano, o BBB (a jogadora Ana Paula trouxe de volta os bons anos do reality).
Melhor programa de entrevistas: Programa do Porchat.
Surpresa: Glória Pires no Oscar. A atriz não assistiu a praticamente nenhum filme, virou meme mundial, divertiu e foi o diferencial na premiação. Nunca foi tão bom assistir à Cobertura da Globo.
Quarteto fantástico: Malu Mader, Carolina Ferraz, Ellen Roche e Renata Augusto (espetaculares em Haja Coração).
Par romântico: Shirlipe (Sabrina Petraglia e Marcos Pitombo).

Considerações finais: o Palmeiras foi o grande campeão brasileiro de 2016, conquistou seu nono título na competição. No entanto, o acidente envolvendo os jogadores (dirigentes, jornalistas e convidados) da Chapecoense estragou qualquer festa (não há condições para isso). Família, amigos, brasileiros e o mundo todo. Todos estão sentidos. Chocou! A morte dos jogadores, principalmente, para quem acompanha o futebol, foi como se alguém da própria família estivesse entre as vítimas. Não tem como segurar as lágrimas num momento como esse. Lágrimas de tristeza. 2016 termina de luto. (Sobre os nossos políticos, foi nojento eles terem se aproveitado da comoção do país para agir na madrugada de terça para quarta, agiram contra o povo brasileiro, não respeitaram a dor, a angústia, foram diabólicos). Mesmo assim, continuo a acreditar no ser humano. Muito de muitão.

Meus sentimentos.





sábado, novembro 26, 2016

Globo anuncia a volta de Nazaré e toda a trupe de Senhora do Destino

Meme Nazaré Confusa ganhou o mundo
Como Mumm rá de Os Thundercats, antigos espíritos do mal, transformaram essa forma decadente (Nazaré Tedesco) numa das melhores vilãs de nossa telinha. A TV Globo anunciou nesta última semana o retorno de Senhora do Destino, e me perdoe D. Susana Vieira (ótima como a anta nordestina Maria do Carmo), mas essa novela é (foi) de Renata Sorráh, a loira gostosa pra caramba, narcisista e má, muito má, Nazaré.
Naza figura como uma das piores vilãs de todos os tempos, senão a melhor e a novela relembra uma ótima fase do autor Aguinaldo Silva, que foi muito mal nas novelas seguintes (Duas Caras, não gostei de nada, Fina Estampa, começou bem, terminou péssima e Império, um meio termo). Do Aguinaldo, como seria bom ver Tieta (e a Perpétua) ou Altiva (com a maravilhosa Eva Wilma). Tieta, A Indomada. Muitas saudades das novelas nordestinas do Aguinaldo (ótimo também com Pedra sobre Pedra e Porto dos Milagres).
Enfim! Mesmo sendo um re-repeteco, Senhora do Destino vale muito a pena ver de novo. Muito de muitão.

sábado, novembro 19, 2016

Os nudes famosos do Instagram (sem tarja)

Virou modinha entre os famosos. É cantor e não consegue emplacar um sucesso, sumiu das mídias, boom!, posta uma foto pelada (ou quase) no Insta ou no Snapchat, e num estalar de dedos, todo mundo vai se lembrar do Paulo Zulu, o namorado da Helena Ranaldi na novela da Camila (Dieckmann), do Rafa da Malhação (o último a aderir a moda), das músicas chatas do Bieber etc.
Muitos assumem mesmo! Outros posam nus pela arte, outros dizem que a rede social foi invadida, ou seja, todos eles voltam à mídia e causam. 
Por que fazem isso? Como vivem após as fotos expostas? Se arrependem? Isso só o Globo Repórter poderá explicar.
Segue algumas fotos (não continue caso não queira ver nudes):

Cléo Pires (gata!)


Rihanna (e seu boom boom)


Miley Cirus (maluquinha)


J. Bieber (esse já se acostumou)

O Rafa da Malhação (amigo do Cabeção)


Henri Castelli e a namorada (quem tirou a foto?)


Paulo Zulu (ele até chorou, mas não emplacou nenhuma novela (não agradou aos diretores))



Luciana Gimenez (by night)



Marcelo Mello Jr. (foi sem querer querendo, estava enviando um nude para um amigo)







Final de Haja, início de Rock

Rock Story é muito boa.
Haja Coração, remake de Sassaricando, 1987, terminou no último dia 8, uma terça-feira, e sim, vai deixar saudades. A audiência foi um pouco maior que a antecessora, Totalmente Demais, por três décimos, porém, prefiro Totalmente! No entanto, Haja foi bem divertida e romântica. 

  1. O casal Shirlipe foi a sensação da trama.
  2. Marcos Pitombo e Sabrina Petraglia não tiveram seus contratos estendidos pela Globo. Essa Globo!
  3. Karen Junqueira foi uma ótima vilã. Gostei mesmo.
  4. O trio Malu Mader, Carolina Ferraz e Ellen Rocche foi o ponto alto da trama.
  5. Renata Augusto idem.
  6. Mariana Ximenes segurou muito bem a Tancinha.
  7. Gostei do casal Betancinha.
  8. Mas o final foi Aponcinha.
  9. Que eu também gostava. :)
  10. Cristina Pereira e Grace Gianoukas espetaculares.
  11. Tatá Werneck como Tatá Werneck sempre é uma comédia. Não cansa, nunca!
Na quarta, dia 9, a Globo estreia Rock Story, e a trama já conquista de cara. Os primeiros capítulos são melhores que Haja e Totalmente juntas. Sim, senhor!

  1. Vladimir Brichta é o grande nome da novela. Até agora! Está ótimo.
  2. Natália Dill é uma atriz absurda. Esperando a entrada triunfal de Lorena.
  3. Será que Julia e Lorena serão Ruth e Raquel.
  4. Impossível? Quem sabe.
  5. Alinne Moraes tirou de letra a mimada Diana. Está incrível.
  6. Léo Régis é muito Luan Santana.
  7. Muito Lucas Lucco.
  8. Muito Gustavo Lima e você.
  9. Ponto para o Rafael Vitti.
  10. J. Vicente de Castro segurou bem o seu vilão. É a estreia dele em novelas. Está nojentinho, no bom sentido.
  11. A história me faz lembrar o enredo dos livros da série "Rosemery Beach", de Abbi Glines. São ótimos.
  12. Apenas lembra. Não tem nada de cópia.
As aberturas das novelas das sete são as mais contagiantes. Rock Story com Pitty supera qualquer uma no ar atualmente, até a das seis, que é linda. A das nove é chata.


terça-feira, novembro 15, 2016

Applause! Pica-Pau, o retorno

A história se repete. O atrevido Pica-Pau venceu a Globo de novo. Enquanto Xuxa não precisa mais se preocupar com o passarinho, Angélica, a outra loira está pagando o pato. No último sábado, Angélica perdeu de 8,7 a 7,5 no momento que disputava a audiência com o desenho.
BOOM! A casa caiu! Rá-rá. Não, a casa não caiu. Acontece, mas que a loira da Record soltou um rá-rá para a amiga da Globo, duvido-o-dó que não.
Há especulações, boatos, fofocas etc. que o Huck (marido da loira da pinta) fez o que pôde para juntar a mulher ao seu programa (Huck e Angélica são amigos de Boninho, enquanto Boninho e Xuxa se estranhavam. Boninho cuida das tardes de sábado da Globo). Claro, tudo especulações, fofocas, boatos e afins.
De quebra: o programa de Angélica é chato. Vê-la fingindo gostar dos pratos (receitas dos famosos) é outro ponto fraco.

Argh!

quarta-feira, novembro 02, 2016

Paola Bracho, a vilã mais famosa do México, vai voltar

Paola Bracho vai voltar (de novo). Paola é a nossa Raquel (Mulheres de Areia). Paulina, a irmã gêmea de Paola tem muito da Ruth (da mesma novela). A Usurpadora vai ser exibida pela sétima vez.
Vai ser sucesso?

E alguém duvida?

Silvio Santos lançou um  novo horário de novelas, com o propósito de alavancar o Fofocando (programa de fofocas do canal). Estreia dia 7, no comecinho da tarde, por volta das treze horas (1:00).

quinta-feira, outubro 27, 2016

Quando anunciada nos intervalos de Velho Chico, A Lei do Amor parecia que ia resgatar aqueles novelões das oito. Decepcionou!

Essa cena foi bem legal.
A Lei do Amor com audiência pior que Babilônia? Não acredito! Após primeiros capítulos gloriosos, com boas doses de romance e sonhos e (mais) romance (e discórdias), bomba! a novela subiu no telhado. Isabelle virou Cláudia, Chay virou Giane, Gabi virou Regina, Thiago virou Mayer e Vera Holtz virou Vera Holtz. What?
Vera Holtz teve um caso com o Thiago Martins, que virou José Mayer. Vera Holtz continuou Vera Holtz. 
Como assim?
Thiago virou Mayer.
Mayer é mais velho que Vera Holtz.
OU SEJA:
A lei do amor virou um ABSURDO!
A audiência está entre 22 e 28 pontos (sempre mais próximo dos 22).
Apesar de todos esses absurdos, Vera Holtz está superbem, Mayer idem. 
O que não colou na verdade é o amor impossível da Helô com o Pedro. 2016 e ainda temos que engolir que a Helô não quer ficar com Pedro por causa da felicidade da filha. Haja paciência!
O love story da primeira semana sucumbiu. Não gostei, não gostei, não gostei.
A novela precisa de um up. Queremos torcer para os mocinhos. Então nos ajudem, please!
Vera Holtz mais parecida com a Nazaré também seria interessante. Mag mais sarcástica, por favor!
Falando na filha da Helô. Que purgante essa menina, né não?
Com Laços de Família fresquinha na mente, a Letícia está tão chata como era a Camila, com a diferença que a personagem do ano de 2000 nos amoleceu com a história do câncer.
M. Adelaide Amaral eu sou muito fã. Anjo Mau, Tititi, A Casa das Sete Mulheres e todas as minisséries que fez. A Lei do Amor tem pegada de novela das sete, estilo Sangue Bom. Pode isso, não! Também não precisa exagerar e virar uma A Regra do Jogo. No entanto, precisa de algo mais forte. Drama Adelaide, DRAMA! Quem não gosta de um belo drama?
Com pitadas de humor e um casal realmente apaixonante, tal & qual foi a Isabelle e o Chay.
Por enquanto, leva nota 6,0. Ainda não tem média para passar de ano, mas com esforço leva uma estrelinha pra casa.
Drama, Adelaide. Drama! 

Nota: a última novela que capricharam na música da abertura foi Império. Muitas vezes assistia apenas para ouvir a canção. Com A Lei do Amor, a música é tão chata, que corro ver o que está passando em outro canal. Olha o perigo, Globo!


Xuxa mais popular em 2017

Record: Xuxa volta com o Planeta Xuxa para concorrer com Luciano Huck. A notícia é verdadeira, mas é claro que o "novo" programa está sendo planejado nos moldes do Planeta (1997-2002), com outro nome (provavelmente, Xuxa Meneghel mesmo!). Xuxa mais popular (Coluna Zapping, do Agora São Paulo). Boa notícia, né não?


Será que voltam as paquitas?

Papaquitos?

Russo?

Intimidade?

Felixx



A Padroeira volta ao ar no Vale a pena ver de novo (mas na TV Aparecida)

2017 comemora-se 300 anos em que a imagem de N. Senhora Aparecida foi encontrada e para a data não passar em branco a Globo traz de volta A Padroeira, de Walcyr Carrasco. OPS! A Globo não, a TV Aparecida. Sim, você não leu errado. A Globo vendeu os direitos da novela para uma concorrente direta! A estreia está marcada para 17 de abril do próximo ano, às 19:30, com reprise às 22:30. Grande aquisição da TV Aparecida.
A Padroeira não é aquele novelão todo, mas também não é ruim.
Para quem interessar possa, 2017 vamos exxxcutar muitos voixx me cê (Deborah Secco) e a música linda da abertura.
Teve Maurício Mattar em seu melhor papel da TV (desbancando Luigi Baricelli no posto de galã. Detalhe: o Fernão, de Mattar, é simplesmente o vilão da história).
A novela vale por Laura Cardoso, sempre extraordinária.
Repito: a estreia é só em 2017. Até lá, conversaremos mais sobre a trama.

sexta-feira, setembro 16, 2016

O adeus de Montagner

No fim da tarde, a notícia "Domingos Montagner, de Velho Chico, desaparece após mergulho" deu aquele frio na espinha. Como assim? A minha primeira reação foi: "É verdade isso?". Sim, é verdade. A morte do ator foi confirmada pouco tempo depois. Putz! Por ora, apenas um PUTZ! Acho que o Brasil ficou sem palavras. Velho Chico vai ficar marcada como a última novela de um talento nato, conhecido do grande público há pouco tempo: seis anos! Só seis anos. PUTZ! Isso, realmente, chocou. Termino o post com uma frase de Glória Pires (a melhor frase de todas):
"Senhor onipotente, que a tua misericórdia se estenda sobre o nosso irmão que acaba de deixar a Terra! Que a tua luz brilhe para ele! Tire-o das trevas; abra-lhe os olhos e os ouvidos! Que os bons Espíritos o cerquem e lhes façam ouvir palavras de paz e de esperança!".
Na novela, ele ficou um tempo desaparecido. E a Camila Pitanga ficou procurando por ele no rio. 
Força à família.

segunda-feira, setembro 12, 2016

Thammy Miranda está a cara de Stepan Nercessian

Assistindo a novela Mulheres de Areia no Viva esses dias me deparei com (o) Thammy [Gretchen] Miranda na pele do delegado Rodrigo. Ops! 1993, Thammy era ainda uma menina. É o ator Stepan Nercessian. Thammy está a cara de Stepan. Confiram:



domingo, setembro 11, 2016

Crítica: Sol Nascente

A novela Sol Nascente e o filme O melhor amigo da noiva: mera coincidência?

Sol Nascente tem tudo para ser uma novela linda: belas paisagens, atores bonitos, história principal contagiante (muito parecida com o enredo do filme O melhor amigo da Noiva [título em português]), mas peca pelo marasmo. Pouca coisa acontece.
Antes da estreia, a amizade/romance de Alice e Mário havia me contagiado. Giovanna Antonelli e Bruno Gagliasso convencem como par romântico. Com a novela no ar, ainda assim torço por eles. No entanto, essa história está empacada. Corre contra o tempo Walther Negrão, corre!
Também, antes da estreia, estava ansioso para ver Laura Cardoso. Sou verdadeiramente apaixonado por essa atriz. D. Sinhá parece ter sido feita sob medida para a atriz. Está espetacular, como não poderia deixar de ser.
Letícia Spiller estou gostando mais que a protagonista.
Marcelo Faria passou da hora de ganhar um protagonista.
Talvez com ele no cinema na pele de Vadinho (D. Flor), a Globo invista nesse ator. Prefiro ele do que o A. Nero.
Rafael Cardoso é um bom ator e o vilão César é um dos pontos altos da novela.
Aracy Balabanian é outra que só merece elogios. Francisco Cuoco também, apesar de estar um tanto chatinho.
Enfim, o elenco é bom, a história é que tem que ganhar agilidade. Corre Walther Negrão, corre!
Direção perfeita (L. Nogueira), fotografia melhor ainda, enredo médio.
Sol Nascente tem média de 22 pontos, bem longe do que Eta Mundo Bom vinha alcançando (Eta! terminou com média de 27 pontos).

quarta-feira, agosto 31, 2016

Crítica: minissérie Justiça, Globo, 2016

(rede Globo - Facebook)
Justiça seja feita, a minissérie da Globo é muito boa, a autora Manuela Dias, de Ligações Perigosas, conseguiu cruzar todas as histórias num enredo forte, sagaz e verdadeiro. Verdadeira, esse é o adjetivo principal de Justiça. Todas as histórias são reais, tudo ali acontece no dia a dia, atualmente, ainda mais, infelizmente. Bravo Débora Bloch, Cássio Gabus Mendes, Jesuíta Barbosa, Marina Ruy Barbosa, Leandra Leal, Vladimir Brichta, Enrique Diaz, Luísa Arraes, Jéssica Ellen, Cauã Reymond, Antônio Calloni, Marjorie Estiano, Camila Márdila, Ângelo Antônio, Júlia Dalávia, Igor Angelkorte, Drica Moraes, Tobias Carrieres, entre outros. Destaque para a direção, capitaneada por J. Luiz Villamarin.
Justiça seja feita parte 2: a história de Fátima é a que mais comove. Adriana Esteves volta ao ar em grande estilo, aquém de seu último personagem, que eu gostei, mas que não impulsionou a audiência (Inês de Babilônia). Adriana, na verdade, está dominando a minissérie da Globo. Não existe um cristão que não sinta a dor de Fátima, que chore junto com a personagem. No segundo episódio, chorei quando Jesus, o filho mais novo, a reencontra. Linda cena. Com Fátima e Mayara (ou Susi), a filha mais velha, não foi diferente. As palavras de Fátima, mais tarde com o filho, quando disse que ele terá futuro é outro ponto relevante. Por mais bobo que possa parecer, novamente levei um soco no estômago. Injustiça! Uma família do bem destruída pelas traquinagens de outrem. 
Justiça parte 3: Adriana Esteves é unânime a melhor atriz de uma minissérie em que muitos brilham (ou todos!). 
As histórias de Maurício, Rose e Vicente (a de Rose ainda é a mais fraca, pois mesmo o lance do preconceito de cor, ela estava com drogas, era usuária, e também pelo motivo que saiu do enredo de Rose e pulou para o de Débora, que fora estrupada. Gostaria de vê-la subindo os degraus para o sucesso) são todas minuciosas. E como um livro bom, fico ansioso para os acontecimentos. No entanto, nenhuma história foi tão redondinha quanto à de Fátima. Insisto: Justiça sendo feita!

terça-feira, agosto 30, 2016

Mulheres de Areia & Laços de Família, últimas semanas

- Eu não sou a Raquel (vociferou Ruth no julgamento pela morte de Wanderlei, numa cena antológica de Mulheres de Areia, versão 1993). A cena foi ao ar mais uma vez no sábado, 26 de agosto. E igualmente arrepiou. Ruth de Raquel não mais. Mulheres de Areia entra na reta final no Canal Viva.
Uma semana antes, Camila raspava a cabeça, também numa cena inesquecível. Laços de Família com o drama de um câncer também entra nos derradeiros capítulos. Falta muito pouco.
Glória Pires perfeita no papel das gêmeas mais conhecidas do mundo, ao lado do melhor par romântico da atriz em novelas. Fica impossível não torcer pelo Marcos (Guilherme Fontes) e pela Ruth. Marcos Frota eternizado como Tonho da Lua. Raul Cortez no seu melhor papel (ou seria o Geremias Berfinazzi?). Virgílio Assunção era/é um personagem riquíssimo. Susana Vieira tão amável. Laura Cardoso sendo Laura Cardoso. O casal vinte Alaor e Malu (H. Martins e V. Pasmanter). 
No principal horário de novelas, Carolina Dieckmann viveu a chata da Camila. Carolina, Chatolina, não importa, Dieckmann emocionou. Fez chorar. Luigi Bariccelli? Como chora fácil esse ator! Chorei junto. Não aceito a escravidão da Zilda (T. de Freitas)! Deborah Secco, José Mayer, Tony Ramos, Giovanna Antonelli, grandes interpretações. A participação especial de Lília Cabral, um charme. 
Mulheres de Areia, últimas semanas.
Laços de Família, últimas semanas.
Vera Fischer não gosto tanto assim, mas a sua Helena foi legal.
Da Marieta a impressão é que todas as suas personagens más são sempre as mesmas, com nomes distintos, lógico.
Reynaldo Gianecchini não era tão ruim quando começou. Maldade na época.
Mulheres de Areia ainda contava com Nicette Bruno, Paulo Goulart, Andréa Beltrão, Eloíza Mafalda, Carlos Zara.
Mulheres! Laços! Valeu (está valendo) muito a pena ver essas novelas de novo. 

E veria de novo. E de novo! E de novo! Não duvidem disso!

segunda-feira, agosto 29, 2016

BOMBA! Fátima & William não são mais Fátima & William

O casal vinte do JN, do boa noite, dos sorrisos, do 'existe sim o amor verdadeiro', a Fátima, o William, a Bernardes, o Bonner. Bomba! Bomba! Fátima & William não são mais Fátima & William. Triste! Desapontado! Que sejam felizes! Com a conta bancária deles, com certeza serão. Após 26 anos, buá buá, acabou o amor. Sorte que a Fátima não está mais na bancada do jornal. Que coisa! Será que eles não andavam bem desde aquela época? Por isso Fátima virou Oprah?
Enfim! Fátima não está mais com o William e vice-versa. Continuam amigos e admiradores do trabalho um do outro e pais orgulhosos de três filhos incríveis.

quinta-feira, agosto 18, 2016

Zilda (Thalma de Freitas em Laços de Família) é tratada como escrava por Helena (Vera Fischer)

A escrava Zilda, personagem de Thalma de Freitas, da reprise de Laços de Família, no VIVA, é pau para toda obra. Zilda cuida dos filhos dos outros, lava, passa, limpa, cozinha e só vai dormir quando os patrões não precisarem mais de seus serviços. Acorda cedo e tem apenas um dia de folga na semana. Muitas vezes (quase sempre) abdica desse dia para o quê? Cuidar dos filhos dos outros. Porque gosta, como ela sempre diz. Zilda tem medo de dizer 'não'!
Certa vez, fez pipoca para a turma e ficou de pé, na sala, vendo o filme. Ninguém se incomodou em acomodá-la (nem que fosse sentada no chão). Ficou lá, em pé, com os olhos grudados na tela da TV. OBS.: Havia cadeiras vazias pela casa.
Em 2000, ano da novela, nunca havia me ligado que Zilda era uma escrava, em pleno anos 2000.
Por que eu era mais novo ou por que estávamos acostumados a isso?
Em 2016 a forma como a heroína Helena (Vera Fischer) trata sua empregada me choca.
Zilda prepara com todo amor e carinho uma salada (Helena só come saladas) para sua dona e ela simplesmente ignora.
Zilda faz tudo por eles, vive por eles, mas não é um membro da família, é apenas uma empregada. Sem direitos, apenas deveres. É algo na família que acontece e todos pedem para que ela se retire. Zilda não tem vida própria, não namora, não se diverte. Ah, Zilda! Zilda, mais amor próprio para você!
Como Laços já foi exibida, dói ter a certeza que Zilda continuará dessa forma até o último capítulo, apenas sendo um capacho da bondosa, rica, forte, linda e guerreira Helena. Se estou com raiva da Helena? Quem não ficaria?

quinta-feira, agosto 04, 2016

O nu artístico de Tatyane Goulart

A bela Tatyane Goulart, da Rede Record, foi clicada (nua) pelo fotógrafo Elvis Moreira e o resultado agradou em cheio os cuecas de plantão. No Instagram, a atriz escreveu: "Quem me conhece sabe o quanto sou reservada. Mas para esse projeto do fotógrafo @elvisnm me despi de pudor, vergonha, autocrítica, e todas essas coisinhas que dia após dia nos torna pessoas mais rasas e pequenas. A beleza vai muito além. Cada "imperfeição" no meu corpo me faz a mulher MARAVILHOSA que eu sou. Vejam outras lindas mulheres em @essaminhamulher e se inspirem. É hora de se apropriar da sua própria beleza!". Muito gata.

Quem quer comprar a boneca da Xuxa?



Primeiro foi sua badalada participação no Porta dos Fundos, da trupe de Fábio Porchat, agora Xuxa Meneghel resolveu rir de si mesma outra vez, mas para o Netflix. “Mais aberta”, a loira protagoniza um comercial onde faz piada com o suposto “pacto demoníaco”, que tanto assombrou sua carreira. Direto dos anos 80, Eleven sintoniza a Xuxa lendo uma cartinha misteriosa da Joyce, de Hawkins. Parece que uma coisa muito estranha aconteceu com o baixinho dela. O que será? Confira no vídeo a seguir. Um “joia” bem grande para a apresentadora. Muitos risos com ela.

quarta-feira, agosto 03, 2016

Clipe de lançamento: Justiça, minissérie da Globo estreia em agosto

Veja o clipe de lançamento de Justiça, com Adriana Esteves e grande elenco.

terça-feira, agosto 02, 2016

O fenômeno Eta mundo bom!

Falar bem de Eta mundo bom! é chover no molhado. De todas as novelas no ar, a das seis da Globo é a mais redondinha e a resposta está na alta audiência. Em janeiro escrevi um post afirmando que a trupe da fazenda era a melhor coisa no ar e nada mudou.
Todos os integrantes da família buscapé são um espetáculo à parte. 
Eta mundo bom! é garantia de riso e de boa história. E muitas vezes é emocionante.
Bravo! Bravíssimo!
Walcyr Carrasco lembro da seção Parabólica, da Revista Contigo!, lá nos idos de 1994, 95. Era um crítico de TV sagaz. Sabia das coisas. Como autor assinou Xica da Silva, Fascinação, O cravo e a rosa, Chocolate com pimenta, Alma gêmea, Morde e assopra, Gabriela, Amor à vida, Verdades secretas e Eta mundo bom!
Dele não gostei de Caras e bocas (que foi sucesso), A padroeira e Sete Pecados (que não foram sucessos).
Walcyr comeu bola só duas vezes.
Foram 11 acertos (contando com Caras e bocas que achei meia boca).
Walcyr entende de novela. Sabe agradar o público e é o autor que mais atraiu público nos anos 2000 para cá.
Eta mundo bom! é simples, tem uma narrativa aconchegante, é entretenimento puro, saudável e divertido. Mereceu o recorde de 34 pontos semana passada e merece bem mais. Prova viva que o público gosta ainda de novelas. De novela das boas.
Confesso que sou apaixonado pelas novelas dos anos 1990, começo dos anos 2000, e que o Viva é parada obrigatória, mas isso é coisa de gente nostálgica, que aprecia novelas sim, mas que gosta de matar a saudade daquele tempo bom, porém, todavia, entretanto, Eta mundo bom! de nada deve no quesito bom folhetim.
A pegada de Mazzaroppi é o ponto alto da novela.
Da trama apenas não simpatizo com Eriberto Leão, Débora Nascimento e Flávia Alessandra. Nessa ordem.
Mais parabéns: para o diretor artístico Jorge Fernando.

Lista dos 15 melhores:


  1. Candinho.
  2. Mafalda.
  3. Zé dos porcos.
  4. Cunegundes.
  5. Eponina.
  6. Maria. 
  7. Pancrácio.
  8. Pirulito.
  9. Quinzinho.
  10. Josias.
  11. Quincas.
  12. Manuela.
  13. Anastácia.
  14. Dita.
  15. Clarice.