BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

quinta-feira, fevereiro 28, 2013

Atual cartaz das seis da Globo é um fiasco em se tratando de audiência e ao mesmo tempo sua qualidade é enaltecida por um público fiel e de muito bom gosto

Em qualquer crítica relacionada a novela das seis da Globo, Lado a Lado, você só vai ler (ou ouvir) coisas boas. É uma produção de época caprichada, linda fotografia, cenários e figurinos perfeitos e uma história cativante. Quem assistiu dois ou três capítulos não parou mais. Mas foram poucos os que quiseram realmente sentar em frente da TV neste horário. Por que?
Se formos buscar a audiência de 20 anos atrás teremos 50 pontos de média para Mulheres de Areia e 44 para Sonho Meu, sua sucessora. Números estes que talvez nunca mais veremos. Tudo mudou. O IBOPE foi alterado: hoje cada ponto equivale a cada 62 mil televisores ligados só na Grande São Paulo, naquela época nem 30 mil. A população aumentou. A internet apareceu. O IBOPE não evoluiu. A empresa. Já é sem tempo contar como telespectador quem assiste seu programa predileto via computador, celular e etc. Mas mesmo assim, a atual trama das seis não escapa do fiasco que é, em termos de audiência, deixo claro. 18 pontos de média geral é muito pouco. Muito de muitão! Se apontarmos a questão qualidade, sai vencedora em todos os quesitos. Todavia, são os números que apontam o que é sucesso ou não e Lado a Lado é um fracasso, infelizmente.
Os acertos já foram apontados, no primeiro parágrafo, mas não vou me abster, é quase uma obrigação falar do texto (os autores João Ximenes Braga e Cláudia Lage estão de parabéns), um primor! Tudo supervisionado pelo talentoso Gilberto Braga. E a direção sempre pontual de Dênnis Carvalho segue como outro ponto positivo e é claro, o elenco encabeçado por Marjorie Estiano, Patrícia Pillar, Lázaro Ramos, Thiago Fragoso, Camila Pitanga, Maria Padilha, Caio Blat, Cássio Gabus Mendes, Débora Duarte, Alessandra Negrini, Milton Gonçalves, Rafael Cardoso, Zezéh Barbosa, Sheron Menezes, Ana Carbatti, Isabela Garcia, e muitos muitos outros, todos espetaculares. 
Os erros que eu considero quase nulos se deve a história lenta, que em nada reflete na perfeição do texto, visto que o público anda mais ansioso e se acostumou as tramas ligeiras de João Emanuel Carneiro. E uma outra coisa que acho relevante para decifrar do porquê a trama não alçou voo é a trama de época justamente numa estação quente: horário de verão combina bem mais com Flor do Caribe, a próxima do horário, Lado a Lado é uma história para o inverno, mais escura e didática. E está claro que nem sempre qualidade e quantidade andam juntas. Realmente, uma pena! 


O Profeta tem efeito cascata nas tardes da Globo. Uma pena!

                                O Profeta, no Vale a pena ver de novo da Globo está sofrendo um efeito cascata: foram 13 na estreia, 12 no segundo capítulo e 10 no terceiro e está na mesma maré de azar de Da Cor do Pecado, sua antecessora. A audiência ruidosa se deve a um único motivo: os telespectadores querem as melhores novelas, coisa que acontece só na TV Paga, uma pena! Não que o atual cartaz seja um produto ruim, pelo contrário, a novela é muito boa, mas assim como já foi falado por aqui, vale a pena ver de novo só as grandes novelas.
E sem essa de que o povo não quer ver re-reprise. Fosse isso Mulheres de Areia, A Viagem e A Gata Comeu não teriam dado certo. Funcionaram todas muito bem. Todavia, tem que haver um certo cuidado: a re-repetição de Da Cor do Pecado, por exemplo, foi dada num curto espaço de tempo. Coloquem Tieta, Rainha da Sucata ou Pedra sobre Pedra, só para citar algumas, para ver se a coisa não engrena de vez.
Tirando a chatice que é ver o Marcos se declarando a todo momento para a Sônia, eu gosto de O Profeta e torço para que a mesma se reerga. Porém, sendo uma história das seis da tarde, podiam fazer um compacto, assim como fizeram com A Vida da Gente para a venda no mercado lá fora, traria dinamismo e um resultado bem melhor. Claro, tudo sem prejudicar o andar da carruagem.
Juro que tenho pena da Globo, está sem o tino sempre certeiro que estávamos tão acostumados a ver.

VW traz de volta o humorista Mussum em comercial do novo Fusca. Assista!

Não é só uma propaganda, é criatividade, e se é criativo merece todos os nossos aplausos. Não entendeu nada, né? Calmaria, vou explicar. A VW trouxe de volta o humorista MUSSUM para o comercial do novo Fusca. Genial! No vídeo, que se passa na década de 1970, a marca destaca a transformação do Fusca ao longo dos anos com a participação do ex-trapalhão. Boa sacada! E claro, sendo assim, merece aqui também seu merchandising. Assistam. Muito bom mesmo! 

quarta-feira, fevereiro 27, 2013

Batman está de luto. Robin morreu!


                                                                        É o fim da linha para Robin, o menino-prodígio. É que o melhor amigo do Batman morre na edição número oito da HQ Batman Incorporated, lançada hoje, 27. 

Na capa do quadrinho, Robin está envolto em um manto preto e, abaixo, a sigla R.I.P (que significa "Descanse em paz", em português) com a letra R estilizada com o logo de Robin.
"Ele salva o mundo. Ele faz seu trabalho como Robin e morre como um herói absoluto", explicou Grant Morrison, um dos escritores da obra. :/Eu não gostei! Mesmo. Amanhã ou depois é capaz do Coringa se casar com a Batgirl. Não né?

segunda-feira, fevereiro 25, 2013

A volta de O Profeta

E reestreou agora a pouco no Vale a pena ver de novo a novela O Profeta, de Duca Rachid e Thelma Guedes, com Thiago Fragoso no papel-título. E mesmo achando que tem muitas histórias melhores para serem reprisadas, eu curti muito a sua volta. A Sônia de Paola Oliveira é a Ruth de Mulheres de Areia, o que mostra que as autoras não fugiram em nada do estilo sempre certeiro da saudosa Ivani Ribeiro, morta em 1995. O Profeta é um remake dos anos 1970 e deu muito certo em 2007. 
A maioria dos personagens tem uma popularidade tremenda. Nesse primeiro capítulo brilharam Ana Lúcia Torre, Fernanda Souza, os protagonistas Thiago & Paola e quem hoje assiste o Melhor do Brasil da TV Record pode matar a saudade do Rodrigo Faro como ator. Laura Cardoso apareceu bem pouco, mas já valeu muito e claro, Luís Gustavo, sempre uma honra vê-lo atuando.
Eu credito que a sessão da Globo seria válida apenas aos grandes sucessos, mas visto que novela das oito/nove não pode mais, O Profeta é uma boa pedida sim. E Rede Globo, que tal uma sessão número 2 à meia-noite com os grandes sucessos do horário nobre? O Viva faz isso perto da 1 da manhã e suas tramas são um sucesso à parte. 
O primeiro capítulo marcou 13 pontos e o segundo, um a menos.

sexta-feira, fevereiro 22, 2013

Direto do túnel do tempo: Gianfrancesco Guarnieri (ficou bem Vídeo Show esse título :P)

Gianfrancesco Guarnieri, nossa! quanto tempo! Meu Deus! Que ator nós já tivemos. Numa dessas andanças pela internet me deparei numa reportagem da Contigo! em que mostra a sua neta, filha de Paulo Guarnieri (que eu lembro em Quatro por Quatro, 1994), linda por sinal, veja, pois bem! foi dele que eu lembrei, lindo Gianfrancesco, o Eliseo de A Próxima Vítima, 1995, dentre outros tantos trabalhos, muita saudade, imensa saudade. Ainda consigo lembrar dele em Mundo da Lua, série da TV Cultura em parceria com a Globo, em 1991. Os artistas bons deveriam ser eternos!

Assista o vídeo abaixo, dele com Aracy Balabanian, em seu melhor papel na TV (bem acima do que foi a D. Armênia):

Animadores de TV (crítica)

As rainhas da TV Hebe  (para sempre na memória dos brasileiros) e Xuxa.
 Se tem uma coisa que eu gosto de assistir é a um bom programa de auditório, já gostei mais, mas ainda ficou guardado dentro de meu coração a emoção de ver meus artistas preferidos do jeito que eles são, sem interpretações ou coisa parecida. Claro que a mesmice de hoje em dia fez o público fugir para a TV fechada, todavia, ainda podemos encontrar muita coisa boa.
Vamos começar com as mulheres. A apresentadora Hebe Camargo morreu ano passado e deixou um legado de boas entrevistas, humor e ajudou o país a crescer utilizando do microfone, seu bem maior, para trazer à tona fatos importantíssimos e assim com todo o seu carisma fez com que por muitas vezes os brasileiros acordassem pra vida e gritassem quando nossos políticos corruptos esbanjavam por aí nossa fortuna. Muito disso se tornou uma utopia porque brasileiro é um ser cordial, e não esbraveja quase nunca. Mas ela sempre fez valer a pena. E o sofá da Hebe se tornou conhecidíssimo. Tudo mesclado ao bom humor da loiraça. Que Deus a tenha. Deixou imensas saudades. E apesar de Eliana ostentar chegar aonde Hebe chegou, sabemos que isso é impossível. 
Eliana. O que dizer da Eliana? Eliana é uma apresentadora de talento, sim senhor! Seu programa que é ruim. Mas já foi pior. Falta a ela ter um jogo de cintura. Não deve ser fácil brigar pela audiência aos domingos, e por ser mulher, a pressão só aumenta. Não se pode cometer erros. Primeiro defendo a tese que Eliana ao vivo funcionaria bem mais. E incomodaria mais. Segundo, não é preciso baixar o nível para se ganhar uma luta. A loira dos dedinhos vai longe, podem apostar. Eu mesmo tinha minhas ressalvas contra ela, Eliana está subindo no meu conceito, ainda não está 100%, por todos os motivos acima mencionados, mas eu torço para seu sucesso. 
Na emissora número 1 do Brasil temos Xuxa, Angélica, Fernanda Lima e Regina Casé. Todas incríveis. Regina Casé e Xuxa andam em caminhos parecidos. Ambas estão em campanhas contra preconceito, de todos os tipos, e contra maus tratos, também de todos os tipos. E isso é genial. Regina é mais Classe C, atinge um público que é fidelíssimo, mas em nenhum momento pode se sentir enganado, e a morena faz isso de maneira correta e honesta. Assistir ao Esquenta e aos poucos se lembrar daquelas festas na laje, e mesmo que você nunca tenha participado de uma festa dessas, ainda assim, o cenário vai lhe remeter a isso, definitivamente, e é assim, que funciona, e muito bem. Em contrapartida Xuxa ainda vem se testando. A rainha dos baixinhos tem uma imagem bastante infantilizada, talvez por isso afugente um pouco o público, principalmente os mais jovens, e pudera! hoje em dia virou moda achincalhar a Xuxa e esquecer toda a história que existe por trás do fenômeno que ela foi e o quanto ela proporcionou para o avanço da mulher independente no Brasil. Muitos poderosos se curvaram ao seu talento. Pesquise antes de falar. Xuxa, claro, errou muito, e quem não erra, mas aprendeu muito também. Seu programa na TV Globo pode se orgulhar de nunca ter passado dos limites, coisa que a loira sempre tomou muito cuidado. É um caso raro. E assim como a Eliana, Xuxa ao vivo daria ainda muito mais comentários. Xuxa é a animadora de TV mais espontânea que nós já tivemos, em caso de programa gravado, são feitos muitos cortes, a Globo como se sabe, às vezes se faz de surda, muda e cega. Quase sempre. A Fernanda Lima está fazendo um trabalho bonito na TV, ainda está no início, mas se tiver sorte (se a Globo assim quiser) vai crescer e muito na televisão. E por fim, Angélica. Assim como Xuxa e Eliana, Angélica começou com o público infantil. Tanto Eliana quanto Angélica nunca chegaram aos pés do que foi (e é) a marca Xuxa entre as crianças, e isso, hoje, é visto como positivo. As duas desassociaram com extrema facilidade a imagem de apresentadora infantil e encontraram o sucesso com os adultos de forma mais rápida. Angélica, não fosse a vida pessoal ter interferido em sua carreira no final dos anos 1990 e início dos anos 2000 teria tido ainda mais sucesso. Porém, comanda como ninguém um programa de televisão, seja de auditório ou não. O Estrelas relembra um antigo sucesso da nossa TV, o Almoço com as Estrelas. E vai muito bem, obrigado. E Estrelas sem Angélica não tem aquela graça. Ela é um charme.  
Ana Hickmann não merece ser mencionada, assim como a Luciana Gimenez. Adriane Galisteu almejou ser uma Hebe, o sonho, é claro, subiu no telhado. Não que ela seja ruim, faltou determinação. Está esquecida.
Dentre os homens ninguém supera Silvio Santos. Quem foi criança no início dos anos 1990 vai se lembrar com carinho do Topa tudo por dinheiro, do Hot hot hot, do Porta da Esperança, e agora, ele esbanja simpatia e espontaneidade no Programa Silvio Santos, todos os domingos, e não raro alcança a liderança no Ibope. Lindo! Que Deus dê vida longa a Silvio Santos, a TV sem ele não será mais a mesma. Silvio até tentou criar seu sucessor. Gugu Liberato foi o que mais se aproximou do ex-patrão. Por três anos consecutivos, entre 1999 e 2002 derrotou a Rede Globo e o rival Faustão no Ibope. Impulsionado pelo seu próprio ego acabou se enforcando sozinho ao enganar na maior cara de pau seu público. A falsa entrevista com a facção criminosa PCC foi o estopim para a ruína do loiro. Hoje, amarga a terceira colocação na audiência. É funcionário da Rede Record. Sua saída do SBT foi um acerto: ele precisava se renovar, porém, voltou na nova emissora fazendo a mesma coisa que fazia antes, o público já cansado, se afastou, de vez. Fausto Silva, por sua vez, viu seu Ibope migrar para o SBT justo depois de apresentar ao vivo o deplorável sushi humano. Tudo de muito mau gosto. Bizarro! O que fez? Aguentou durante muito tempo as chacotas do colega e se reinventou. Hoje, o Domingão do Faustão, apesar de muito chato, é o programa de auditório mais visto da televisão brasileira. E se for contar pela autenticidade e autoconfiança do apresentador é merecido.
Raul Gil é sempre Raul Gil. Uma pena é ele não ter caminhado junto com os novos tempos. Seu programa no SBT é o mesmo apresentado há mais de vinte anos atrás, mas ainda assim merece todos os elogios por ser o único a apostar na boa música brasileira. Do Luciano Huck eu gosto e não gosto. Ele trouxe bastante novidade na TV, tem o olho clínico e quase sempre acerta nas escolhas, não à toa é conhecido por ser um bom marqueteiro. É ali que pega: muito do que ele faz soa um pouco falso. E com a aposentadoria anunciada por Faustão em 2017 torço para que a Globo não o escolha como seu sucessor. Que tal apostar numa novidade. Tiago Abravanel Globo! Tem potencial.
Celso Portiolli é um meio termo. Tinha tudo para ser um grande comunicador, tem até um carisma invejável, mas não tem atitude, acaba morrendo na praia, sempre. André Marques é um chato, tomara que nunca deixe o Vídeo Show para fazer voos maiores e Serginho Groisman é muito engraçado. Tem um jeito único e expressivo. Eu o adoro.
E o Rodrigo Faro. Por que não consigo gostar dele como apresentador? Já fiz essa mesma pergunta várias vezes para mim. E o motivo que talvez se faça mais forte nesse momento é o fato de eu associá-lo ainda como ator de televisão. Juro que às vezes tenho a nítida sensação de vê-lo atuando numa dessas tantas novelas das seis no qual o mesmo participou. Não me traz nenhuma verdade. Não gosto. Ponto final.


quinta-feira, fevereiro 21, 2013

Bruna Marquezine meiga?

Todo mundo têm o seu valor. E todo mundo é estigmatizado, de alguma forma é. Os artistas então, sempre! E Bruna Marquezine não é mais a mesma, literalmente. Ela, a menininha que chorava a morte da mãe Fernanda (Vanessa Gerbelli em Mulheres Apaixonadas, Globo, 2003) ou mesmo àquela que mesmo cega era movida a alegria e esperança (América, Globo, 2005), cresceu, aos nossos olhos. E querendo ou não, o público a abraçou. Quis confortá-la, mesmo sabendo que fantasia e realidade tem muita diferença. Pra completar, ela virou uma das melhores amigas de Sasha, a filha da Xuxa. Ou seja, vista toda essa mistura, deu no que deu, a jovem ficou estigmatizada. É para muitos aquela menina meiga e doce que nos acostumamos a ver. Adorável sociedade hipócrita.
A Bruna tem talento sim senhor, claro, que não pode ser comparada a uma Marjorie Estiano, nem mesmo tem o brio de uma Nanda Costa, mas é muito melhor do que muita atriz por aí que por conta dessa mesma sociedade nojenta ganha papéis muito mais expressivos. Na própria Salve Jorge vemos muito disso. Bruna, então, tinha dois caminhos: o mais longo, que era de escada em escada ir subindo na carreira ou o mais curto, que é a fama a qualquer preço. Adivinham qual ela escolheu?
Bruna Marquezine é agora a nova namorada do Neymar, apontado como o novo Pelé do futebol brasileiro. Bingo! Já esteve até no Faustão para falar do caso. E claro, tal e qual Daniella Cicarelli e Stephany Brito, é uma santa, afinal! lembram bem do estigma, né? E com a certeza de que sua vida pessoal vai se tornar uma grande novela com direito a traições, gravidez e idas e vindas ao mesmo tempo que vai fazendo seu nome na teledramaturgia. O povão adora isso e quer ver na TV a namorada do Neymar. 
Não critico de forma crucial a atitude da moça, de repente eu estou enganado e isso que estamos assistindo de camarote seja amor mesmo, mas o que não tolero é postar fotos de roupão na internet dando a ideia de que está em sua belíssima casa conversando via Skype com o namorado e depois vir a público pedir que respeitem a sua privacidade. Se é para ser assim que seja igual a própria Xuxa que sempre afirmou que ama os holofotes. E que ela tenha a mesma sorte que sua fada madrinha, afinal, hoje, para todos, foi o Pelé que namorou a Xuxa, e não o contrário.
O engraçado disso tudo é que justo quando a mesma interpreta uma periguete numa novela ela vai logo se apaixonar pelo jogador mais famoso da atualidade.  Que coisa não?

Guerra dos Sexos (crítica atualizada)

Casal cuti-cuti.
Levanta a mão quem assistiu as duas últimas semanas de Guerra dos Sexos. Ok! Visto o fraco desempenho na audiência, com certeza, poucos, bem poucos. Mas esses poucos se divertiram a valer. Mesmo! E se você teve a sorte de zapear pela Globo bem na hora em que Dona Roberrrta (Glória Pires) e Nando (Reynaldo Gianecchini) se passam por mendigos deve ter dado muitas gargalhadas. A novela das sete é uma comédia de situações. 
O autor Silvio de Abreu, que não é bobo nem nada, e muito humilde, outros ficam jogando em redes sociais o quão são excepcionais e chamando quem não vê sua novela de ignorantes como se a culpa de um produto ruim é do telespectador, pois bem, Silvio engoliu a seco as duras críticas, todas verdadeiras e transformou Guerra dos Sexos num produto bom. A trama não é formidável, mas diverte, é entretenimento puro.
Glória Pires e Reynaldo Gianecchini seguem como meus favoritos. Eu torço para que o casal termine junto! Drica Moraes é maravilhosa, como sempre, e outro achado é Edson Celulari. Ele nunca foi ruim como ator, tem bons personagens no currículo, mas Felipe está no tom certo, é um paspalhão, um adorável paspalhão.
Dentre os personagens mais chatos destaco a Charlô (Irene Ravache) e o Otávio (Tony Ramos). O pastelão já não agrada mais. Fica muito Aventuras do Didi, beira o ridículo. E muito do fracasso do início se deve à infantilização adotada pelo diretor Jorge Fernando, que talvez pensou que o público de Carrossel, da emissora vizinha, migrasse para sua história. Deu no que deu.
Dentre mortos e feridos, Guerra dos Sexos, definitivamente, encontrou o seu lugar. 




terça-feira, fevereiro 19, 2013

Ranking Mr.TV: os cinco melhores atores atualmente no ar (exclusivo)

Depois do sucesso que foi o post com as cinco melhores atrizes, nada melhor que listar os cinco melhores atores atualmente no ar. Vejam:

5º lugar: ele começou a carreira bem cedinho, foi em Éramos Seis (SBT), de 1994, e acreditem, ainda lembro, mesmo que vagamente. Cinco anos mais tarde causou alvoroço ao formar par romântico com Regina Duarte na minissérie Chiquinha Gonzaga, já na Rede Globo. E não parou mais. Atuou em Andando nas Nuvens, Esplendor, Um Anjo Caiu do Céu, etc e etc. Ele é Caio Blat, o pequeno notável. Em Lado a Lado (Globo, 18h) é Fernando, um vilão à altura de seu talento. As cenas com a atriz Alessandra Negrini são sempre um show à parte, Alessandra, aliás, funciona muito bem no papel da malvada. Bravo!


4º lugar: eu sempre detestei o  Bruno Ferrari como ator, mas não é que ele me convenceu do contrário, o rapaz aproveitou com unhas e dentes a chance que lhe foi dada em Balacobaco (Record, 23h) e só tem brilhado nas cenas como o malvado-mor da novela e ainda pode se orgulhar de ser o melhor ator em função da TV Record. Com certeza vai ser bastante assediado para as novas produções da emissora. E merece.


3º lugar: desde Esperança, Globo, 2002, Reynaldo Gianecchini, acumulou só bons trabalhos na TV, os melhores são o Pascoal de Belíssima (2005) e o Fred de Passione (2010), ambas de Silvio de Abreu. Guerra dos Sexos (Globo, 19h), principalmente nesta última semana está muito divertida, e muito se vale a Dona Roberrrta (Glória Pires), Kiko (Johnny Massaro) e claro, Nando (Giane). Se no início o Nando lembrava e muito o Pascoal, agora o ator encontrou a alma de seu novo personagem. Está incrível.

2º lugar: Alexandre Nero é outro que só acumula bons trabalhos, foi um verdureiro apaixonado em A Favorita (2008), enlouqueceu a mulherada em Paraíso (2009) e fez os vilões Gilmar (Escrito nas Estrelas, 2010) e Baltazar (Fina Estampa, 2011) com tamanha maestria que mesmo os personagens tendo tudo para serem idênticos, ambos eram maus e tinham uma veia cômica muito forte, Alexandre, mesmo assim, fez a diferença. Genial! E agora na pele de Stênio rouba a cena em Salve Jorge (Globo, 21h). Rodrigo Lombardi, que atuou bem como o Raj ou como o Astro, está um porre na novela das nove, assim como esteve em Passione. Argh! Boa Alexandre!

E em 1º lugar: Eduardo Moscovis, em seu melhor momento na TV. Ele é Léo e fica louco por elas todas as terças na Rede Globo. Eduardo, que vinha dizendo muitos nãos aos autores da emissora, voltou em grande estilo: Léo é a cara de Eduardo e Eduardo é a cara de Léo. Muito bom!

Enfim, Totia Meirelles brilha!

O sucesso de Totia é tanto que já é comum vê-la estampada nas capas de revistas, principalmente às que comentam sobre Salve Jorge, como a Minha Novela (Editora Abril) desta semana.
Quando em 1999 a vi pela primeira vez atuando, em Suave Veneno, escrita por Aguinaldo Silva, gostei de cara de Totia Meirelles, ela era um amor, a melhor amiga da protagonista Lavínia ou Inês, vivida por Glória Pires. Totia tem anos de estrada como atriz, mas dela me lembro só a partir desta data mesmo. E foram anos sendo sempre a melhor amiga da protagonista, todas muito bem interpretadas, porém o talento da atriz exigia mais do que isso. 
Em 2011 apareceu na fatídica Fina Estampa, por ironia também de Aguinaldo Silva, incrivelmente não era mais só a melhor amiga, mas Zambeze não acrescentava nada a história. Não era um personagem de humor muito menos dramático, era nada, ou seja, tinha para mim que esse era o destino de Totia Meirelles, pelo menos na TV.
Surge Glória Perez e a ruidosa Salve Jorge, também não tão ruim assim e finalmente aconteceu. Totia Meirelles desbancou Cláudia Raia do posto de melhor vilã de uma novela das nove. Wanda é show. Simplesmente! Salve, salve Totia Meirelles! E que a partir de agora os colegas de Glória Perez invistam mais no poder de interpretação da atriz. Merecido!

sábado, fevereiro 16, 2013

Ranking Mr. TV: as cinco melhores atrizes atualmente no ar (exclusivo)

As cinco melhores atrizes atualmente no ar em um ranking exclusivo do Mr. TV. Comentem, por favor (e podem discordar, coisa que duvido que aconteça, a não ser pela ordem aqui posta). Veja:

5º lugar: Patrícia Pillar como a maléfica Constância de Lado a Lado (Globo, 18h). Patrícia que interpretou a Luana Berdinazi de O Rei do Gado (1996) e a Flora de A Favorita (2008, em seu melhor momento na TV), dois papéis distintos e igualmente divinos. E mesmo a atriz sendo a mesma que fez a Flora, a gente nota que há uma grande diferença da vilã de 2008 com a de 2013: Constância em nada se parece com a Flora, e mesmo assim causa certa repugnância. Ô mulherzinha arrogante, Deus do céu. Aplausos.

4º lugar: Drica Moraes, perfeita como Nieta da novela Guerra dos Sexos (Globo, 19h). Uma mulher com muitas mágoas, seca, invejosa e amarga. Tudo bem que a novela começou mal e eu estou devendo uma crítica atualizada para a mesma, Guerra dos Sexos está uma delícia, e muito disso se deve a competente Drica. Maravilhosa! Comédia pura.

3º lugar: Glória Pires, a dona Roberrrrrta de Guerra dos Sexos (Globo, 19h). A dama das telenovelas brasileiras teve em 2011 o melhor papel da TV daquele ano, Norma de Insensato Coração (Gilberto Braga e Ricardo Linhares), um personagem difícil, denso e tenso, tirou de letra como sempre, e Roberta Leone de 2012/13 veio para dar leveza a imagem da atriz. Linda! Quem viu o capítulo de ontem, sexta-feira, 15 de fevereiro, deu muitas risadas, e Glória mostra que nasceu mesmo para ser artista e quão é incrível em qualquer papel, não à toa muitos a consideram a melhor atriz que o Brasil já teve. Alguém discorda? E não sei você, mas eu torço para que o Nando termine com a Roberta. Química perfeita! 

2º lugar: Giovanna Antonelli em seu melhor momento na TV desde a Jade de O Clone, de 2001. Helô é tão fascinante que a Bárbara (Da Cor do Pecado, 2004), outro acerto na carreira de Giovanna, não chega a seus pés. A história de gato & rato protagonizada por ela e Alexandre Nero é a melhor coisa da novela Salve Jorge (Globo, 21h) e o barato disso tudo é que não cansa,  a gente espera ver os dois ora se amando ora se engalfinhando, bem ao estilo das comédias românticas nos filmes americanos. Muito bom!

E em 1º lugar, ela! Marjorie Estiano, esta que vinha de um personagem emocionante, a Manu de A Vida da Gente, de 2011, e roubou todas as atenções na pele de Laura (Lado a Lado, Globo, 18h). Não tem cena difícil para ela, a atriz agarra todas elas como se fossem a última de sua vida e dá no que dá: um verdadeiro show de interpretação: arrisco dizer (mais uma vez!) que Marjorie Estiano é a nossa nova Glória Pires. Maravilhosa!


quinta-feira, fevereiro 14, 2013

O amor é lindo - última parte (Daniela Mercury)

Extra! Extra! Daniela Mercury é flagrada aos beijos com namorada de sua assessora. OOOpssss, ex-assessora!  Tudo porque a ex-funcionária de Daniela, Fabiana Crato, teria chegado em casa depois de um longo dia de trabalho e quando entrou em sua residência, deu de cara com a namorada aos beijos com Daniela Mercury. 
Aí, já viu, os laços foram rompidos ali mesmo. 
Pois é, tudo rolou, segundo o colunista Léo Dias, no último final de semana.
Eita que Daniela tá aproveitando bem o Carnaval, né? 
Ela tá solteira mesmo... Já a outra...
Ou seja, sem querer querendo, Daniela Mercury deu um chega pra lá nas gatonas Ivete & Claudia Leitte e foi o assunto mais comentado de Salvador. Linda!

O amor é lindo - parte 2 (Xuxa & Junno)

"Felicidade que se sabia tão rara, agora sorri pra tristeza que um dia riu da nossa cara... E a vida segue... Na paz e harmonia que merecemos... Dia de alegria... Carnaval, Sapucaí..."

Junno Andrade se declarando para a Xuxa.

Xuxa está feliz (PACAS)! A apresentadora foi ao Carnaval do Rio neste último fim de semana com o novo amor, o cantor, compositor e ator Junno Andrade. E claro, todos os flashes estavam para os dois. Detalhe: o namoro está fazendo muito bem à ela. Xuxa apareceu linda (mais do que o habitual). A loiraça de 49 anos está batendo um bolão. Vai que é tua Junno! E aproveita Xuxa!

Glória Perez minha linda

Atenção, muita atenção, é sério, leiam e claro, comentem. Nesta quinta, hoje! dia 14 de fevereiro de 2013 é o 100º capítulo de Salve Jorge, a sua novela das nove e pasmem! ao contrário de sua antecessora, o capítulo de hoje não reserva nada de interessante. Há! Há! Glória Perez minha linda, não será por isso que a trama das nove amarga a pior audiência da história da GLOBO no horário até então? 
O que queremos? Socos, pontapés, Morena estapeando as vilãs, Morena tendo acessos de raiva, mais socos e pontapés, e assim por diante. Movimenta a novela Glória Perez! Por nós!

quarta-feira, fevereiro 13, 2013

O amor é lindo - parte 1 (Neymar & Bruninha)

O jogador de futebol aspirante a craque Neymar Belzebu, porque vai ser feio assim lá na Cochinchina, assumiu seu namoro com a chorona snif snif Bruninha Marquezine, que não é mais angelical e mentiu descaradamente para a apresentadora Ana Maria Braga (Ana, não perdoa a Salete, coisa muito feia isso hein garotinha?! só pode ser influência do novo namorado) dizendo que os dois eram apenas bons amigos. 
A partir de agora a menina vai aparecer em todas as capas de revistas. Se o carinha que cai tanto quanto faz gol deixar até na Playboy ela vai estar. Tomara (mas acho que não, ele ganha bem)! Mas a periguete de Salve Jorge (Globo, 21h) tem que cuidar para não se tornar uma nova Sthefany Brito ou algo pior, uma Daniella Cicarelli, ou seguindo a lei de Murphy, uma Ronaldinha (:P).
"Estamos namorando, sim. Estamos muito felizes. E foi muito ele ter vindo me ver desfilar", disse Bruna. O amor é lindo não é? Ok! Ok! Em se tratando do artilheiro, nem tanto. 
Em tempo: o rapaz foi visto na última sexta-feira, 8 de fevereiro, se esbaldando em uma balada famosíssima de Camboriú, Santa Catarina (Green Valley). Mas nem esquenta mocinha, ele só foi visto na companhia de amigos. Apenas amigos. Bons amigos!


terça-feira, fevereiro 12, 2013

Papa se demite



"O vigor foi diminuído de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade".

Papa Bento 16, anunciando ao mundo que vai passar o bastão. Apesar de muita gente ir contra ele, eu gosto dele, do jeito dele, meio durão, meio bravo! Ok! A Igreja Católica, assim como as demais, talvez menos que as demais, sei lá! não vamos discutir religião, são um tanto retrógradas em determinados assuntos, mas a figura do Papa para mim tem muita relevância, eu respeito muito, muito de muitão (no aumentativo mesmo). E se ele assim quis, que seja assim desse jeito.

Em silêncio!

sexta-feira, fevereiro 08, 2013

Crítica: Balacobaco (telenovela, Rede Record, 2013)

A atuação impecável de Bruno Ferrari surpreendeu: o vilão Norberto é a sensação de Balacobaco, a atual novela da REDE RECORD.
                              A novela Balacobaco foi feita às pressas à título de substituir a fracassada Máscaras, de 2012. Nota zero para quem escolheu o nome. É horrível, para não dizer outra coisa. A novelista Gisele Joras é ótima, é de autoria dela Amor & Intrigas (perfeita) e Bela, a feia (esta um pouco surreal, particularmente não gostei, todavia, foi um grande sucesso). Pois bem, a atual trama da Record não é boa, mas também não é ruim, tem lá seus predicados. É agradável, não mais que isso, se é que vocês me entendem.
Juliana Silveira, Bárbara Borges, Roberta Gualda, Lu Grimaldi, Cristina Pereira, Antônia Fontenelle, Juliana Baroni, Ângela Leal, Ricardo Petraglia, Antônio Pompeo, Simone Spoladore, Umberto Magnani e Julianne Trevisol desempenham muito bem suas funções. Julianne, aliás, apesar do pouco espaço, sempre que aparece em cena dá um show de interpretação. Bravo! Mas é Bruno Ferrari o grande nome de Balacobaco. O ator pinta e borda em cena. Amadureceu muito como ator e vem talhando com maestria seu melhor papel na telinha. Agarrou a chance que lhe foi dada com unhas e dentes e com certeza vai ser muito disputado pelos outros autores da casa.
Dentre os que são menos expressivos que uma árvore temos Victor Pecoraro, Rafael Calomeni, Joana Balaguer e André Segatti, todos muito ruins. O restante do elenco faz a lição de casa direitinho, não se sobressaem, mas também não comprometem. Solange Couto é uma atriz de um papel só. Não é brinquedo não! Uma pena!
Balacobaco, apesar de uma estreia ruim e ter amargado por muito tempo o terceiro lugar na audiência, engrenou. Vem acumulando médias superiores a 8 pontos, o que é ótimo, e sabe-se que a teledramaturgia da Record, enfraquecida por Máscaras e Rebelde, ano passado, tende a crescer novamente. A substituta é um remake de Dona Xepa, um baita sucesso da Globo nos anos 1970 e lá por junho (podendo se estender para julho ou agosto) tem a estreia do autor Carlos Lombardi (Quatro por quatro, Uga-uga, O quinto dos infernos, Kubanakan, Perigosas peruas, Bebê a bordo, entre outras) na TV Record e acreditem, mesmo a Globo vindo com Saramandaia, é de Pecado Mortal (título provisório) a trama que mais anseio em ver este ano. Juro! 
E de Balacobaco adianto: é uma novela leve e descontraída, romântica e bem humorada, não é o que se pode chamar de um novelão (e quem a assistir esperando isso, vai levar um tombo daqueles), mas se aproxima muito das comédias românticas das 19h da Rede Globo, ou seja, para quem quer apenas entretenimento é uma boa opção para o final de noite. 

Entrevista polêmica

"Um povo que é regido por um pastor deve ter a mente semelhante à de uma ovelha". 

Marília Gabriela, dia 3 de fevereiro no De Frente com Gabi, Sbt.

E eu acredito que depois dessa não precisarei comentar mais nada sobre a polêmica envolvendo o Silas Malafaia. Né?



Só uma deixa:
todo mundo tem o DIREITO de ser feliz! (Assim, bem simples!)

quinta-feira, fevereiro 07, 2013

Crítica: José do Egito (Rede Record, 2013)

José do Egito (Record, 2013): série bíblica tinha tudo para se tornar uma obra-prima,  não fosse o elenco ruim (claro, há os que se salvam, poucos, bem poucos!).
Com efeitos especiais belíssimos, cenografia primorosa, figurinos e maquiagem perfeitas, José do Egito ampliou a audiência da TV Record, cuja média dos dois primeiros episódios é de 12,5 pontos. Sucesso! E ainda impulsionou a novela Balacobaco, que amargava médias inferiores a 8 pontos, coisa esta que já não acontece mais. Falemos apenas da minissérie. Obra quase perfeita. Por que o quase? O avanço da emissora na teledramaturgia é gratificante - para ela (a emissora) e para o público - mas nem tudo lá é flores. Tudo estaria perfeito desde que atores e autora estivessem em plena sintonia com todo o resto e visto que isso não acontece o conjunto da obra se compromete. 
Tudo está muito didático, a autora Vivian de Oliveira está correta, apenas isso, não arrisca, não empolga. Uma pena! E o que dizer do elenco? Poucos se salvam. Poucos, bem poucos. E uma outra crítica: a emissora peca na prosódia, você caro leitor deve ter notado que alguns atores estão exclamando muitos xis bem ao jeito carioca de ser, e em se tratando de uma série bíblica não pode. Denise Del Vecchio está maravilhosa enquanto Mila Christie não interpreta, simples assim. Ator tem que fazer com que o público  esqueça quem está por trás daquele personagem e aquele que consegue fazer isso, naturalmente ganha todos os elogios. Merecidos!
José do Egito não foge à regra de outras produções bíblicas: é cinematograficamente linda. Juro! Mas tal & qual os filmes hollywoodianos, os personagens da época não eram branquinhos e não tinham olhos azuis. Deserto é igual a  pele queimada. Cleópatra era negra, tenho certeza disso. O que chama a atenção é que o homem branco não quer admitir que uma vez na história foram mandados pelos negros, só pode! Ou que a audiência propriamente dita não assistiria uma produção religiosa em que ressalva que Jesus Cristo podia sim ser negro. Isso choca! O que não deveria, mas sabemos que desde que o mundo é mundo que todos os preconceitos são velados e que ninguém se arriscaria a dizer o contrário, né? Vai que naquela época já se usasse bloqueador solar, vai saber?!
Ainda assim, José do Egito é uma ótima pedida, especialmente para quem gosta de História. E que todas as produções da Record se assemelhem à série. Só para constar, tem muito ator bom na Record, muitos muitos! Mas que está cheio de gente ruim, ah! está sim! E muitas palmas para a direção fantástica de Alexandre Avancini e sua trupe. Todavia, uma dica, às vezes menos é mais. 

sexta-feira, fevereiro 01, 2013

Assista com exclusividade o clipe da música Dançando, de Ivete Sangalo!

Veja o clipe, aqui ó!

Marília Pêra é a grande estrela de Pé na Cova (crítica)

                 Quando avistei o deboche de Marília Pêra ontem no segundo episódio de Pé na Cova, série de Miguel Falabella na Globo, parei para assistir. O programa em si é uma mistura de tudo que o Miguel já produziu para a TV, tem uma boa pegada de Toma lá da cá com toques de Salsa & Merengue e Sai de Baixo, claro, é de longe menos engraçada que os dois humorísticos acima citados, mas o programa é bom demais da conta. A mistura, aliás, vem com um quê de revolução em se tratando de humor na tevê, juro!
A participação especial de D. Laura Cardoso, claro!, deu aquele toque especial, mas todo mundo do elenco estava afinadíssimo. Bravo! Mas é da Marília que eu quero falar. É dela os melhores sarros, as melhores caras, tem um quê de Copélia sua personagem (Arlete Salles em Toma lá da cá), mas me arrisco, é muito melhor, se é que é possível isso de acontecer.
Marília parece estar tão a vontade em cena que fica impossível não dar a ela a condição de estrela do seriado e me perdoe o Miguel, mas Pé na Cova nada seria sem o talento dela. E revisitando em meus pensamentos a carreira de Marília me deparo com a Dona Milú de Cobras & Lagartos, lembram? A atriz é uma comediante de mão cheia. Arrasa sempre.
No último dia 22 a atriz completou 70 anos, bem vividos e que a voz suave de Marília continue nos agraciando por muito mais tempo. E a você, caro leitor, caso ainda não viu Pé na Cova, assista. Com certeza vai dar muitas risadas e quando se deparar também com a Darlene em cena vai entender exatamente o porquê ela (Marília Pêra) mereceu um post só pra ela. Lindíssima!

Observação: Niana Machado, a Bá, tem jeito que vai roubar a cena. 

Os 20 anos de Mulheres de Areia, a melhor novela das seis de todos os tempos

                                         Em 1992 a atriz Glória Pires engravidou de Antônia e decidiram engavetar Mulheres de Areia, para a Globo Ruth e Raquel sem Glória não existiria. Um ano depois, para ser exato em 1º de fevereiro de 1993 estreava na TV um dos maiores sucessos do horário das 18h. Mulheres de Areia abocanhou 50 pontos de média na época, ou seja, sua audiência é equiparada a uma novela das nove (da época).
Perdi as vezes de quanto sonhei junto com a Ruth, de como torcia para vê-la feliz, Ruth era a simplicidade em pessoa, suas dores eram sentidas, aliás com Glória Pires choro junto até hoje, impressionante. De outro lado tinha o jeito debochado de Raquel, uma adorável vilã, com certeza as duas são um marco na carreira da atriz, e a trama de Ivani Ribeiro é vista até hoje como a menina dos olhos da Globo, tanto é verdade que ela foi reprisada há um pouco mais de um ano, e não vejo a hora de a emissora lançá-la em DVD, vou comprar e assistir de novo (e de novo), sempre que quiser. 
Lá se vão vinte anos, Deus do céu, o garotinho de dez anos que se apaixonou de verdade pela Ruthinha, tal e qual o Tonho da Lua (Marcos Frota) ainda tem forças para acreditar no ser humano. Mulheres de Areia proporcionou diversão, duelos, muitas brigas, romances, humor e outros ingredientes, tinha um sabor inigualável, jamais sentido, antes ou depois. 
Mulheres de Areia, vinte anos depois: Andréa Beltrão é a protagonista da série de maior sucesso da atualidade. Raul Cortez já não está mais entre nós, que falta ele nos faz. Susana Vieira se deixou levar pelas aparências, uma pena, eu a adorava. Eloiza Mafalda abandonou as novelas, vive em seu sítio, cuida de plantas. Linda! Vivianne Pasmanter não faz mais o mesmo sucesso de antigamente, aliás, ela não aparece muito na TV atualmente, mas é uma baita atriz, saudades. Humberto Martins só melhorou. Marcos Frota sumiu! O personagem foi tão forte na carreira de Marcos que em toda novela que ele participou era impossível não associar o novo personagem ao memorável Tonho da Lua. Guilherme Fontes derrapou, muitos nem lembram mais quem é ele. Laura Cardoso está uma senhora lindíssima, tem na alma uma verdade que se sobrepõe nos nossos lares. Sebastião Vasconcellos migrou para a Rede Record. Paulo Goulart está doente e Nicette Bruno a cada dia mais bonita. Muitas saudades de Mulheres de Areia. De verdade!
E o tempo só fez bem a atriz principal. Glória Pires está linda e é ainda a maior atriz de sua geração, apontada por muitos a dama das novelas no Brasil. Maravilhosa! 

Avenida Brasil em espanhol

Veja como ficou a voz de Carminha (Adriana Esteves) e Nina (Debora Falabella) em espanhol. Novela Avenida Brasil será vendida ao exterior. Fica no ar uma saudade imensa.